Clínica Privada – Review – In Which Sam Receives an Unexpected Visitor (2/9)

Episódio: In Which Sam Receives an Unexpected Visitor (2/9)
Temporada:
Canal: Foxlife / RTP 2
Primeira Transmissão em Portugal: 27 de Dezembro de 2007 / 18 de Novembro de 2008
Primeira Transmissão nos E.U.A: 3 de Outubro de 2007

Talvez Shonda Rhimes quisesse contar histórias de escândalos familiares que ela costuma ler nos jornais e ver na televisão, pela óptica de quem vive estes escândalos. Talvez ela quisesse explicar as razões que levam histórias destas a acontecerem, reduzindo o número de pacientes, para se focar em uma ou duas narrativas. Ou talvez ela quisesse, simplesmente, contar histórias de pessoas, sem deixar nada de fora. A verdade é que ela conseguiu novamente dar provas da sua genialidade, e o segundo episódio de Clínica Privada comprova-o.

A história pessoal de cada médico ainda está muito verde, talvez demasiado ingénua, mas também é cedo demais para compor qualquer juízo baseado somente em dois episódios. Qualquer falha que a série ainda possa ter é compensada pelas óptimas histórias clínicas, e pela excelente química que há entre o elenco, tal como acontece em Anatomia de Grey.

Violet (Amy Brenneman) realmente tem um dom como psicóloga. Infelizmente, há uma pessoa que ela não consegue tratar – ela mesma. A fixação dela com o “ex” chega a ser sufocante, e dispendiosa, mas pelos vistos ela começa a entender que deve deixar o passado para trás. A não ser, é claro, que resolvam trazer o “ex” dela de volta. Falando em “ex”, não é só Violet que não ultrapassou a última relação. Naomi (Audra McDonald) ainda tem sentimentos muito fortes por Sam (Taye Diggs), e creio que esse será uma das histórias a ser seguida nos próximos episódios. Muito terna a cena onde Addison a deixa ficar a olhar para Sam. Naomi trouxe uma grande amiga para estar ao lado dela, não há dúvidas. E é curioso como estamos a ver mais a Addison (Kate Walsh) como pessoa do que como médica. Os últimos episódios dela em Anatomia de Grey já estavam a retratar isso, mas Clínica Privada será um bom meio para ela se mostrar muito mais palpável do que estávamos acostumados.

Cooper (Paul Adelstein) está perfeito, embora ele se sofra demais com os problemas de seus pacientes. Mas é impossível evitar qualquer tipo de envolvimento quando seus pacientes são crianças, não é?

Fiquei fã da Charlotte (Kadee Strickland). Ela é uma mulher muito franca e difícil, mas deu o braço a torcer e não sossegou enquanto o caso dos bebes não fosse resolvido. Gostava muito que a participação dela nos próximos episódios fosse tão constante como nesse.

A história dos bebes trocados conseguiu inquietar-me e levar-me às lágrimas. A interpretação dos pais das crianças foi extremamente autêntica. Toda a circunstância era quase impossível de se lidar, mas Mike Ostrowski, que foi quem escreveu o guião deste episódio, conseguiu ultrapassar isso de uma maneira extremamente delicada e sensível. Na cena em que as mães trocam as crianças e falam o que cada uma delas precisa para se acalmar eu já precisava de um balde para as lágrimas.

A história do paciente alcoólatra também não ficou muito atrás. Só uma mãe/avó desesperada para fazer o que Glória Walker (participação especial de Jean Sincere) fez, e Sam mostrou-se extremamente compreensível ao mentir por ela. Claro que não foi muito ético, mas ficou bem claro que usou deste artifício para fazer seu paciente recear beber, e também voltou a afirmar, subtilmente, que não toleraria mais o método da avó.

Estamos a conhecer as personagens. As cenas conjuntas estão a compor-se bem e com bastante humor. Dou como exemplo a cena em que Addison, Naomi e Violet vêem a “animadora” chegar à clínica. Foi muito divertida. Addison tenta acalmar Naomi, que está enfurecida com Sam. Mas quando elas vêem que a “animadora” vai é consultar com Pete (Timothy Daly) a história muda de figura e Addison é que tenta disfarçar o ciúmes.

Clínica Privada está a mostrar-se uma série bem diferente de Anatomia de Grey, mesmo sendo da mesma criadora. Como costumam dizer, não é melhor, nem pior, é diferente. Até o próximo episódio, é claro!

Texto de Cláudio Carneiro e Carlos Couceiro

Editado por Carlos Couceiro

2 respostas a Clínica Privada – Review – In Which Sam Receives an Unexpected Visitor (2/9)

  1. […] Na semana passada elogiei com entusiasmo o modo mais talhado com que nos são apresentados os casos clínicos de “Clínica Privada”, em contraponto aos fracos dramas dos seus personagens principais. Acho que Shonda Rhimes tem lido as minhas reviews, pois nesta semana ela deixou um pouco de lado a clínica privada para falar um pouco mais sobre a vida privada dos médicos da Clínica OceanSide. Tudo começa com uma chuvosa Los Angeles. E chove imenso. A nossa protagonista, Addison (Kate Walsh), sente-se enganada, pois ela largou a nublada Seattle para ir para uma terra ensolarada (e para voltar a ter um pouco de magia na sua vida). […]

  2. vitoscano diz:

    Exactamente é uma excelente série, só é apenas diferente e pronto. Anatomya é a Cidade e a Clinica Privada é o campo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: