Pulp Fiction, por Tiago Ramos

null
Título original: Pulp Fiction
De: Quentin Tarantino
Escrito por: Quentin Tarantino e Roger Avary
Com: John Travolta, Samuel L. Jackson, Uma Thurman, Harvey Keitel, Bruce Willis, Tim Roth, Christopher Walken, Ving Rhames, Eric Stoltz, Maria de Medeiros, Quentin Tarantino e Rosanna Arquette

Um ícone dos anos 90 que deu a conhecer Quentin Tarantino como um dos realizadores mais rebuscados e experimentais de sempre.

Quando falamos em Pulp Fiction, falamos não só de um filme que arrebatou inúmeros prémios, mas falamos também de um ícone da cultura pop dos anos 90, que surge hoje seguramente entre o top 10 de grande parte dos cinéfilos. Pulp Fiction venceu o Grande Prémio de Veneza e foi nomeado a sete Óscares de Academia, vencendo o de Melhor Argumento Original.

null

Pulp Fiction será certamente das obras mais influentes do cinema e à partida a que teria dos argumentos mais simples. O filme retrata três histórias interligadas que seguem as desventuras de dois assassinos baratos (John Travolta e Samuel L. Jackson), da insinuante mulher do seu patrão (Uma Thurman) e de um desesperado boxeur em fuga (Bruce Willis). Contudo, o segredo reside na originalidade com que Quentin Tarantino o fez.

Não é das obras mais perfeitas da história do cinema, mas acabam por ser esse “ruído” do argumento que gera um dos melhores clássicos de sempre. Pulp Fiction não é fiel a regras, nem assenta em categorias ou géneros e isso transmite liberdade visual ao espectador. O filme é desafiante, transgride as regras do bom senso e do politicamente correcto, despertando o grito de rebeldia existente em todos nós.

null

Pulp Fiction apresenta diálogos tremendamente bem construídos, onde cada expressão é digna de nota, revelador da fantástica cultura pop do realizador. Cada cena consegue ser puramente desconcertante, com brilhantes interpretações por parte do elenco e sobretudo através da fotografia do filme. Cada cena, cada parte do guião, cada interpretação é recheada de referências à cultura violenta dos anos 90, com armas e drogas. E tudo isso despertou aquilo que hoje em dia nós chamamos de “cultura tarantinesca“.

As personagens que mais se destacam em todo o filme acabam por ser Vincent Vega (John Travolta), Mia Wallace (Uma Thurman) e Jules Winnfield (Samuel L. Jackson). Não são personagens voláteis em conteúdo, muito pelo contrário. Destaque sobretudo para Uma Thurman, no papel de um mulher engenhosamente inteligente e sensual, que forma uma das melhor duplas do cinema, juntamente com John Travolta.

Uma nota em relação ao poster do filme: nunca um outro poster resumiu tão bem o cinema americano e a sua cultura pop como o de Pulp Fiction.

null

Pulp Fiction é claramente um filme à la Tarantino.

Classificação:

Esta edição não possui extras e sinceramente também não precisa. Sem querer fazer publicidade, mas já fazendo, podem encontrar este clássico em DVD, à venda nas lojas Worten por 1,89€.

46 respostas a Pulp Fiction, por Tiago Ramos

  1. Richard Mata diz:

    Dos meus filmes preferidos de sempre! Filme de Culto sem duvida. Obrigatório ter em DVD em casa.
    Desculpem-me, mas como amante deste filme devo realçar alguns factos inexistentes no texto escrito pelo seu autor que considero fulcrais. O texto peca por não informar aos leitores que nunca viram o filme que a Maria de Medeiros participa no papel de Fabienne, namorado do Bruce Willis. Também falta referir que o Ving Rhames no papel de Marsellus Wallace tem um papel importante e sem duvida falta referir a excelente e soberba banda-sonora. O filme não ganhou o Oscar de melhor filme em 94 pelo facto que havia outro filme soberbo e genial que foi “Os Condenados de Shawshank” que venceu o prémioOs Condenados de Shawshank.

  2. Richard Mata diz:

    Porque razão é que não consigo atribuir uma classificação a este texto?
    Classificação de 3,5/5 é um tanto ou quanto exagerado pela falta de alguns detalhes importantíssimos, ainda por cima parece um texto escrito com base em outros textos na que se encontra na net.

  3. Richard Mata, o Os Condenados de Shawshank não recebeu o Oscar. Julgo que querias dizer Braveheart.

    Já agora, a classificação é a que o autor dá ao filme, não que se dá ao texto.

  4. Ricardo Gomes diz:

    Fiquei bastante desapontado com esta crítica. Peca na originalidade, construída maioritáriamente pela junção de críticas já existentes culminando numa classificação medíocre para a qualidade do filme, e para o impacto que o mesmo teve em toda a indústria cinematográfica. Pulp Fiction é um marco. Há que ser honestos em admitir isso.

  5. Richard Mata diz:

    Então o autor nunca viu o filme, porque este filme no mínimo é um 4/5 e para os amantes do filme é um 5/5.
    Subscrevo o comentário do Ricardo Gomes.

  6. Richard Mata diz:

    Caro Carlos Antunes, pelos vistos estamos os 2 enganados, em 94 quem ganhou foi Schindler’s List e em 95 quem ganhou foi Forrest Gump, mas Os Condenados de Shawshank e Pulp Ficition constavam nos nomeados.

    Pelos vistos temos os dois que usar a “pesquisa” é uma ferramenta útil.🙂

    http://www.imdb.com/Sections/Awards/Academy_Awards_USA/1994
    http://www.imdb.com/Sections/Awards/Academy_Awards_USA/1995

  7. AnaA diz:

    E lá por ser um marco no cinema uma pessoa é obrigada a gostar? Se odiasse o filme e tivesse de o classificar, nem que fosse tida como a maior obra-prima de sempre, dava 0 e acabou… Quem não concordar escreva a sua própria crítica. Agora essa de ter de se dar mais pontuação porque é um ícone, poupem-me o sermão.

  8. A qualidade das críticas aos filmes continua em grande no hotvnews. Continuem que vão bem…

  9. Acho realmente curioso que por estes lados questionem sempre a qualidade das críticas. Uma crítica não tem de ser necessariamente imparcial, porque depende sempre do gosto de quem a faz.
    Existem pontos que não realcei precisamente porque a mim não me criaram interesse. Por exemplo, a Maria de Medeiros é mencionada como fazendo parte do elenco, logo na ficha técnica, mas não comentei particularmente o assunto porque não achei que a sua interpretação fosse assim tão boa no argumento em questão.
    Em termos do plágio, é uma questão sinceramente estúpida que levantaram. As opiniões geralmente giram em torno do mesmo assunto e não é por isso que deva ser considerado uma cópia.
    Infelizmente, consideram que só porque um filme foi aclamado pela crítica e que seja visto como um clássico, tenha de receber a classificação máxima. Pensam dessa forma erroneamente. Até podia dar uma estrela, simplesmente porque não me tinha agrado. Por favor, não entrem em moralismos cinematográficos.

  10. Richard Mata diz:

    Quem entra em moralismos cinematográficos és tu Tiago Ramos afirmando “Infelizmente, consideram que só porque um filme foi aclamado pela crítica e que seja visto como um clássico,” estás totalmente errado pelo menos no meu caso, eu sou o ultimo a ver filmes só pelas suas reviews e pontuações do IMDB ou rottentomatoes ou outros sites e cronistas dedicados ao tema “cinema”, vejo filmes de qualquer pais e linguagem tenho a sorte de ser poliglota e também tenho a sorte de ter um sentido de critica baseado em factos e volto a frisar o meu primeiro comentário, o teu texto peca por ser fraco em conteúdo.
    P.s: Nunca vi o filme Titanic.

  11. Richard Mata, o meu criticismo referente aos filmes não é baseado apenas em facto, mas sim no meu gosto pessoal. É simples e é apenas isto que tive a dizer sobre o filme. É uma opinião fraca? Aceito. A minha opinião não é a melhor? Pronto.
    Quando falei em clássicos e moralismos falei no geral.

  12. Tu fazes uma crítica ao filme e os outros fazem uma crítica neste caso ao teu trabalho. Ninguém foi deselegante para contigo. Assim sendo, não é preciso ensinar-nos sobre a moralidade.

    Posto isto, claro que não concordo com uma nota de 3.5.

    Mas independentemente disso, o maior problema mesmo é o texto ‘per si’. Até podias ter dado uma estrela, mas espero, com um texto escrito de forma completamente oposta.
    Mesmo este texto está “desfazado” da nota. Os 3 primeiros parágrafos são de exaltação da perfeição pura. No quarto, referes algum problema, mas logo de seguida que a imperfeição é que o torna tão especial. No quinto continua a exaltação do magnificente filme. No sexto, é descrito o quão espectaculares são as personagens. O Sétimo acaba até com a menção do pormenor do poster, até esse está bom.

    No fim dás nota de 3.5. Das duas três: ou o texto está desfazado da nota; ou a nota está desfazada do texto;

    Porque jamais isso é um texto de quem dá 3.5. Aliás, nem que fosse pelo legado do filme, que curiosamente passaste o tempo todo a enaltecer com escepção, repito, no quarto parágrafo nas duas primeiras linhas,, deveria-se perder quiça um parágrafo a registar de forma eloquente os porquês de uma nota claramente inferior à média geral. Até porque isto foi escrito bastantes anos depois.

    No fundo fizeste um bom “documentário” sobre o filme e concentras-te a tua opinião na nota. Gostava de ler algo teu mais pessoal, da tua própria experiência de teres visto o filme.

  13. Abul-Fadl Nadr al-Atrabulusi, concordo contigo. No entanto, apontei os factos que o tornam especial realmente, mas como não sou grande fã dos filmes do género, limitei-me à tal nota.

  14. Então porque não um texto com o que te leva a merecer o 3.5? Algo mais pessoal.
    Parece-me algo bem mais interessante, até porque é sempre interessante ler opiniões diferentes sobre as coisas, uma vez que muitas das vezes são reveladoras de novas perspectivas sobre determinada “coisa”.

  15. Abul-Fadl Nadr al-Atrabulusi, percebo o teu ponto. Se notares em críticas minhas anteriores, é comum o texto ser diferente da classificação que atribuo. Os dois costumam ser dissociáveis. Por exemplo, já fiz críticas de filmes que são dos meus preferidos e nunca dei mais de 4 estrelas…

  16. R3volution diz:

    Isto de criticar filmes tem muito que se lhe diga… eu até acho que devia ser proibido! Pois cada um tem os seus gostos pessoais que por sua vez poderão influenciar as pessoas que lêem as críticas. O que para um crítico pode valer 0, para um qualquer espectador poderá valer 10. Tudo depende do tipo, história, contexto ,…, em que o filme é visto.
    Errado está naqueles que aceitam a opinião dos outros, se realmente querem uma opinião de um filme ou do que for, vejam por si mesmos e no final tem a resposta.

  17. Eu acho que o pessoal devia acalmar os ânimos um bocadinho.

    Vão sempre existir criticas a filmes e uma análise a um filme não é totalmente subjectiva. Existem parâmetros objectivos. Normalmente a educação no cinema entre críticos aponta para uma direcção, que pode mudar dependendo da cultura onde o sujeito está inserido e do seu estatuto socio-económico, para além do gosto pessoal.

    Nunca vi o filme e não posso comentar em relação à qualidade da crítica porque, como não o vi, não saberia que aspectos teriam de ser realçados.

    Quanto à nota, realmente parece-me um bocado incoerente em relação ao texto.

    Mesmo assim dou os parabéns ao Tiago pela crítica a um clássico antigo, coisa rara nos sites de hoje, e pelo alerta a esta edição do filme. Bom trabalho.

  18. TB diz:

    É só para avisar que esta critica contem demasiada semelhanças com esta http://cinematograficamentefalando.blogs.sapo.pt/262631.html

    Vê e verifiquei

  19. Porra, mas qual é o vosso problema? Cada opinião de uma pessoa é construída com base noutras opiniões de outras pessoas e, claro, numa própria opinião! Parem de comparar críticas e de perseguir os autores dos textos!

    BTW, o texto que indicaste não é assim tãããããããããããããão parecido como queres dar a entender…

    Pel’ amor de deus… GET A LIFE!

    E comecem a deixar nome nos comentários, que isto de assinar sem que as pessoas assumam quem são realmente já cansa! Qualquer coisa do género:

    Olá, eu sou o Manuel Reis, sou autor no Hotvnews e digo que CSI é uma boa série!

  20. ah mas manny eu já vi tua avaliaçao do CSI nas internetes. ah seu plagiador pah!😛

  21. Richard Mata diz:

    Olá sou o Richard Mata e acho que o Manuel Reis devia de pesquisar num dicionário as palavras “opinião” e “critica”, porque pelos vistos, peca em saber o verdadeiro significado dessas palavras, são duas coisas diferentes, não confundas e digo que o Trueblood é uma boa serie.

  22. Helena diz:

    E eu sou Helena miranda, uma assidua no vosso blog e o que vos tenho a dizer é somente isto:

    Não desçam de nível,não se chateiem ,não vale a pena. Cada um faz o seu trabalho.Quem não gostar não leia.

    Continuem a fazer o que fazem, porque o fazem com gosto..

  23. vitoscano diz:

    Esta opinião é tão valida como outra qualquer, pois são subjectivas,mas ao ler o texto somos levados a pensar que a classificação é maior. Neste caso eu até estou completamente em desacordo com ela, pois para mim é a obra prima de Tarantino, de 0 a 5 eu daria 4,5. A Maria de Medeiros até faz um bom papel e merece ser falada, pois são poucos os Portugueses que conseguem entrar em filmes tão famosos( assim rapidamente só me lembro da Lucia Moniz, do Joaquim de Almeida e muito mais antigamente do Virgilio Teixeira em papeis secundários).

  24. Pedro Maciel diz:

    O único defeito que aponto é o facto de (como já disseram) o texto não corresponder à nota. Quem lê o texto atentamente, não estará à espera daquela nota. Ou seja, falta no texto um parágrafo (pelo menos) que contextualize a nota. Só isso. Julgo que se fizerem uma crítica construtiva, todos os que aqui escrevem agradecem.

    Em relação ao plágio, tenham dó! Eu digo que Chuck é uma excelente série de entretenimento e a Yvonne é muito gira! Querem apostar que vão encontrar esta frase em milhentos sítios??

  25. Richard, eu sei que críticas e opiniões são diferentes. Mas uma crítica depende de uma opinião, right?😉

  26. 😀 Nem vou comentar mais, porque só me dá vontade de rir.😀

  27. Richard Mata diz:

    Tiago Ramos: Com esse comentário são capazes de perder visitantes no vosso blog, sinceramente era necessário? Que falta de humildade, com isso mostras que és incapaz de aceitar factos e verdades. Continua assim que vais longe…

  28. Richard, agora sou eu que te digo para pesquisares a palavra sarcasmo no dicionário.

  29. Richard Mata diz:

    Os meus comentários estão de facto repletos de escárnio e maldizer…

  30. Digo e repito: “Eu acho que o pessoal devia acalmar os ânimos um bocadinho.”

  31. Olá outra vez. Sou o Luis Madeira e queria dizer ao Tiago Ramos que com comentários como o que que fizeste às 16:16 só mostras que nem digno és de escrever neste blog.

    O que te vale é que tu e outros (o Carlos Antunes é outro belo exemplo) têm o alto patrocínio dos editores deste blog que vos dão liberdade para dizer todo e qualquer disparate, seja em críticas ou comentários, sem que daí resultem quaisquer consequências. Com adm’s em condições já tinham saltado há muito.

    Para rematar, a mim é que me dá muita vontade de rir ao constatar o que para aqui vai neste blog sem que nada, rigorosamente nada, seja feito para o blog evoluir.

  32. Então já agora deixo aqui o repto: Escrevam uma review de um filme e enviem-na para Hotvnews@sapo.pt.

    E já agora, eles são mesmo patrocinados por nós. Todos os dias usam camisolas com o nome do blog estampado em letras garrafais, têm o carro todo decorado e as casas deles têm “Hotvnews” pintado no telhado. Além disso, pagamos-lhes 0€ por mês para escreverem críticas.

    E daqui a um bocadinho também começamos a patrocinar o Leixões. E o Beira-Mar de Monte Gordo.

  33. Bem, Luís, obrigado pela parte que me toca.
    Não faço ideia de qual é o problema que agora me toca, mas dado que todas as minhas críticas têm no título “por Carlos Antunes” é fácil evitá-las.
    Assim não lhe custa continuar satisfeito com este blog, que evolui, sim, apesar de não o ver.
    Mas sabe que a internet tem muitos sites onde pode ler (ou deixar de ler) críticas de cinema, portanto se tiver de mudar, apesar de lamentável, é compreensível.
    Eu preferia que tentasse discutir cinema connosco, estou sempre disponível para isso.

  34. Já agora, opinião é o que se usa pararealizar uma crítica.
    Qualquer julgamento do mérito de uma obra é feito com base naquilo que se pensa sobre o próprio Cinema.
    Claro que convem ter um sentido minimamente objectivo, mas a própria relação afectiva com um filme pode ser de extrema importância.
    Eu aconselharia a leitura das críticas do Roger Ebert como exemplo desse equilíbrio dinâmico.

    E, já agora, não há regras para se fazer crítica, portanto fazemos o nosso melhor com as capacidades que temos.
    Os editores do blog avaliam-nas certamente, desde o início (quando me candidatei ao casting, como muitos outros, não tive cunhas), pelo que se houver uma falha grave eles imediatamente tratarão de nos chamar à atenção.

  35. Manuel Reis e que tal usares reptos sem serem estafados, hem? Isso é que era de valor!

    Há cerca de um mês lançaram um (suposto??) casting onde solicitavam exactamente a esse envio de reviews, textos, crónicas, notícias etc e agora vens com a mesma lenga-lenga?

    O que é q aconteceu? Onde estão os resultados desse casting? O que se passa para já estares a bater novamente na mesma tecla a pedir envio de reviews? Os candidatos não agradaram e precisam de outros, ou só sabes mesmo dizer isso? Não era preciso sangue novo? Onde estão? Deixaram de ser necessários e desejados? Ou um mês não chega para fazer uma selecção? O casting foi para a gaveta e querem ser sempre os mesmos a escrever e manter isto uma “quinta” tal como é neste momento?

    E ainda têm o descaramento de dizer que isto está a evoluir? LOL

    E fico-me por aqui porque qualquer pessoa com dois palmos de testa vê sem qualquer dificuldade que este é um blog completamente à deriva e a precisar de uma profunda renovação.

  36. Luís, os resultados deste casting estão na ficha técnica. Temos novos colaboradores, que estão a iniciar/ vão iniciar funções, tanto em TV como em Cinema.

    E sim, isto está a evoluir. Talvez as pessoas pensem que a evolução natural de um blog é passar para site ao fim de três meses. Mas não. Um blog evolui com textos diários, vídeos ou outras coisas que apelem aos utilizadores.

    Se, quando falam em evolução, pensam em publicidade berrante e pop-ups sempre a aparecer com anúncios tipo “Get Laid Tonight here in Mafamude”, estão enganados.

    Se, quando falam em evolução, falam em…

    Já estou a falar demais. Se querem evolução, vejam com os vossos próprios olhos o que vai acontecer até ao final do ano. Aí sim, evolução.

    Ah, e já agora, por motivos alheios à minha vontade e, possivelmente, à vontade do Hotvnews e do próprio autor deste texto, os comentários neste post acerca de tudo excepto o filme ou a review não serão aprovados a partir de agora.

  37. @Carlos Antunes
    Já agora, opinião é o que se usa pararealizar uma crítica.
    Qualquer julgamento do mérito de uma obra é feito com base naquilo que se pensa sobre o próprio Cinema.
    Claro que convem ter um sentido minimamente objectivo, mas a própria relação afectiva com um filme pode ser de extrema importância.
    Eu aconselharia a leitura das críticas do Roger Ebert como exemplo desse equilíbrio dinâmico.

    E, já agora, não há regras para se fazer crítica, portanto fazemos o nosso melhor com as capacidades que temos.
    Os editores do blog avaliam-nas certamente, desde o início (quando me candidatei ao casting, como muitos outros, não tive cunhas), pelo que se houver uma falha grave eles imediatamente tratarão de nos chamar à atenção.

    @manuel Reis
    Escrevam uma review de um filme e enviem-na para Hotvnews@sapo.pt.

    That’s the fuckin’ point. Isto não é uma review; nem uma critíca. É a ficha de um filme com a opinião do autor deste post em forma de nota única e exclusivamente. Que só por acaso não é nada, mas mesmo nada, concordante como texto. Lá nisso são originais. Confesso que nunca tinha visto algo assim.

    Mas se este modelo é assumido tudo bem. Agora não vale é defender com grandes filosofias de opinião, liberdade e etc. Este texto não demonstra a opinião de quem o escreveu. É tão simples como isto.

  38. E é impressão minha ou o filme acabou de subir uma estrela? Então, agora a pontuação é a de quem?

  39. “Se, quando falam em evolução, falam em…”

    hosting, dominio e um theme um pouco mais personalisado. O free CMS podia perfeitamente continuar a ser o wordpress. Hottvnews pela grandeza já merecia este passinho😉

  40. Vou voltar a comentar porque acho que isto chegou ao cúmulo. Se forem consultar críticas minhas anteriores vão notar que o modelo é sempre o mesmo, acabo por generalizar na opinião textual, tentando se calhar ser um pouco mais pragmático e depois a nota é mais a minha opinião pessoal do que a do texto. Se vocês acham que isso está errado? Pronto, acham. Agora começarem a acusar o site em si e a administração de coisas absurdas é que não vale a pena. Sinceramente, muitos dos comentários que li aqui (não contra a crítica) mas sim contra o Hotvnews, contra o Carlos Couceiro, o Carlos Antunes e o Manuel Reis, incluindo a questão dos castings e tudo o mais, são claramente comentários de quem desconhece o funcionamento deste blogue e obviamente, falam sem conhecimento de causa.

  41. Não, ele não subiu uma estrela. Está 3,5 desde sempre.

  42. Não, conforme o Manuel disse, não subi estrela nenhuma. Nem eu, nem a admnistração.

  43. AnaA diz:

    Muito esta gente fica excitada com críticas… Tivessem metade da vontade em fazer algo de útil e tenho a certeza que o blogue recebia bem mais contribuições por autores convidados. Já nem falo da ficha técnica, porque certas vidas não permitem disponibilidade para tal…

    Sejamos razoáveis, se acham que têm o modelo perfeito e absolutamente infalível de crítica cinematográfica, enviem-no como autores convidados, nem que seja para provarem, como tanto gostam, que são os melhores. Se depois a coisa correr mal e as pessoas não gostarem e insultarem o vosso trabalho enquanto descrevem a vossa opinião sobre um assunto não se sintam é no direito de poderem ficar ofendidos, já que não o permitem a outras pessoas.

    Não me perguntem pelas minhas críticas publicadas neste blogue. Não existem porque não acredito que seja boa o suficiente para escrever, mas também não ando por aí a dizer que os outros são uma valente *****.

    E se ficam tão empolgados a ponto de já terem teorias da conspiração e sonhos de estrelas a multiplicarem-se… Se calhar já arranjavam vida além disto, não?

  44. “E se ficam tão empolgados a ponto de já terem teorias da conspiração e sonhos de estrelas a multiplicarem-se… Se calhar já arranjavam vida além disto, não?”

    Que bom para ti que nunca te esqueces de nada. Para quem gastou 3 paragrafos a defender o respeito pelo outro, terminaste de uma forma muito pouco educada. Dizes que tenho “teorias da conspiração e sonhos de estralas a multiplicarem-se”. És rápida a tirar conclusões. E eu a pensar que só tinha feito uma pergunta…

    No que me toca a mim, informo-te que não chamei de merda a nada nem ninguém. Apenas discordei educadamente da forma. Não coloco em causa, nem nunca coloquei a validade a opinião de 3.5. Disse apenas que discordava tão só. O resto foi apenas a indicar que gostaria de ter lido algo mais pessoal e que consequentemente suportasse o porquê do autor ter a opinião (válida) de 3.5.

    Achei por bem demarcar-me dos outros, uma vez que AnaA colocou-me no mesmo saco, algo manifestamente incoerente com as minhas intervenções.
    Mas este é o vosso modelo. Tá certo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: