Esboços de Frank Gehry, por Carlos Antunes

img267/7141/sketchesoffrankgehrywi1.jpg

Título original: Sketches of Frank Gehry

De: Sydney Pollack

Com: Sydney Pollack e Frank O. Gehry

Uma última e, nem por isso, menos excitante obra.

Apesar de ser sempre triste encontrarmo-nos com a última obra de um grande cineasta, neste caso não deixa também de ser um enorme prazer.

Sobretudo se atentarmos que este é o primeiro documentário assinado por Sydney Pollack, numa verdadeira dedicação à descoberta do Cinema até ao final.

https://i1.wp.com/images.allmoviephoto.com/2006_Sketches_of_Frank_Gehry/2006_sketches_of_frank_gehry_010.jpg

Há uma cena do filme, o relato de uma conversa entre Gehry e Pollack, em que Pollack relata as dúvidas que demonstrou a Gehry acerca da escolha deste para que ele realizasse o filme.

Afinal, Pollack nada sabia de documentários ou de arquitectura.

Gehry respondeu apenas que era por isso mesmo.

Essa é uma das grandes vitórias do filme. Pollack está ali para descobrir na mesma medida do espectador que vê o filme. Por isso sentimo-nos acolhidos no seio desta experiência.

No fundo, o filme acaba por ser uma confissão e uma busca.

Busca pelos limites, pelas formas e pelas leituras da Arte – a arquitectura, claro, mas também o cinema – e confissão, pois no fundo tudo isto é uma conversa descarnada entre os dois artistas, cada um revelando o que os une (e no fundo une toda a Arte).

https://i0.wp.com/www.studio-international.co.uk/studio-images/gehry/disney_hall_5b.jpg

Não julguem, no entanto, que o filme se perde da sua essência. Tudo isto acontece nos espaços correctos.

Pollack sabe que que a sua atenção tem de se dirigir a Gehry, aos seus processos de trabalho, à sua influência e à sua forma de quebrar a barreira entre arquitectura e escultura (ou pintura).

O trabalho sobre as formas e materiais é visto com uma dedicação leiga fascinada.

Mas quando, por exemplo, Pollack encontra o Guggenheim, o seu fascínio por aquela tela tridimensional, plena de forma, cor e luz não pode deixar de gerar nele uma vontade e uma leitura de cinematógrafo.

https://i0.wp.com/thecia.com.au/reviews/s/images/sketches-of-frank-gehry-1.jpg

Pollack assinou uma obra fascinante, de descoberta, de dedicação e de entrega.

Seria a sua última como realizador, por isso é bom saber que nos deixou uma gema inestimável!

Classificação:

EXTRAS

Os extras desta edição resumem-se ao trailer, uma galeria de imagens, uma filmografia de Sydney Pollack e a uma listagem dos edifícios citados.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: