Corrida Mortal, por Carlos Antunes

https://i0.wp.com/entretenimentonews.com/wp-content/uploads/2008/07/death-race_poster_02.jpg

título original: Death Race

de: Paul W.S. Anderson

escrito por: Paul W. S. Anderson

com: Jason StathamIan McShane, Tyrese Gibson e Joan Allen

Violência para os sentidos.

Death Race 2000, o original, produzido pelo mítico Roger Corman tinha algo de profundamente utópico e singelo por detrás da sua vontade de oferecer aos espectadores dos anos 1970 uma boa dose de violência gratuita e de sexualidade latente.

Quase uma comédia de acção extremada, com um fundo de aviso sobre um distópico futuro onde um desporto hiper-violento mantem as massas entretidas.

https://i0.wp.com/screenrant.com/images/death-race-battle1.jpg

Para este remake sobra apenas a ideia do desporto pleno de violência.

Aliás, desde logo há um diálogo dentro do próprio filme que o anuncia It’s all about ratings. Fast cars, pretty women…

E violência a rodos, acrescente-se.

O conceito vale para as transmissões televisivas que permitem às prisões serem economicamente viáveis mas também ao próprio filme que se vende assim.

Afinal, passados uns 15 minutos do início, depois do breve dramatismo da vida marital de Jensen Ames, não volta a haver um momento que não cumpra o mote anterior.

https://i1.wp.com/cache.jalopnik.com/assets/resources/2008/06/Death-Race-Mustang.jpg

Depois são tempos longos de uma espécie de jogo de computador (vejam-se os sinais luminosos no chão que é preciso “apanhar” para ter direito a armas e escudos) sem pausa para os sentidos.

Da banda sonora à montagem, tudo é feito para que o espectador seja incapaz de assentar por um momento na informação que verdadeiramente lhe chega, apenas lhe permitem seguir numa falsa tensão de adrenalina.

https://i2.wp.com/img.photobucket.com/albums/v190/rockdude/death-race.jpg

Pelo meio da realização incompetente de Paul W. S. Anderson – mostrar partes do filme como se verdadeiramente fossem o programa televisivo a ser transmitido são demonstração suficiente de falta de imaginação – escapam algumas sequências de acidentes que se vêem ter sido feitas com um impecável sentido de genuinidade, ao invés de algum facilitismo computorizado.

Muito pouco, para qualquer parâmetro.

https://i2.wp.com/www.worstpreviews.com/images/photos/deathrace/deathrace1.jpg

Classificação: https://i0.wp.com/img.photobucket.com/albums/v636/shivers_/1stars.jpg

Anúncios

5 Responses to Corrida Mortal, por Carlos Antunes

  1. Pedro Pacheco diz:

    “Corrida Mortal” é um filme que cumpre os objectivos a que se propõe. Se é verdade que abdica da componente de crítica política e social que permeia o original (que é um filme bem divertido, por sinal, e a merecer uma reavaliação), compensa com generosas doses de acção e violência por uma vez filmadas sem exagerado recurso aos efeitos visuais computadorizados, o que lhes confere uma visceralidade já pouco comum no cinema de género de hoje em dia. Quanto à realização, mil vezes prefiro a de Anderson à monotonia e pasmaceira que caracterizam filmes como o recentemente estreado (e insuportável) “Max Payne”, que foi uma das desilusões do ano para mim enquanto fã do cinema de género.

    Quanto a este “Corrida Mortal” , por uma vez, o título faz juz ao filme: mostra corridas mortais, e pronto. Jason Statham é, para mim, o mais carismático action man do momento, e eleva sempre qualquer filme em que aparece graças ao seu carisma. Destaque também para os excelentes Ian McShane e Joan Allen, e para a bela Natalie Martinez.

    Resumindo, um filme de acção que faz o suficiente por merecer a atenção dos fãs do género, fazendo-os passar uma boa hora e meia.
    Dou-lhe duas estrelas e meia.

  2. […] Corrida Mortal foi visto por 38.604 pessoas e facturou 167.577,02€. Death Race é um remake de um filme grindhouse de 1975 com Sylvester Stallone e David Carradine, realizado por Paul W.S. Anderson (Resident Evil e Alien vs Predator), em que Jason Statham veste a pele de um antigo corredor da Nascar que após ter sido acusado de matar a mulher, corre em corridas mortais numa prisão de alta segurança. O filme obteve 6.8/10 no IMDb e 42% de críticas positivas em RottenTomatoes.com, sendo que pode ler a crítica, escrita por Carlos Antunes, AQUI. […]

  3. ??? diz:

    eu gostava ter um corrida mortal 2

  4. queria muito jogar esse jogo! como jogar?

  5. Spawn diz:

    O filme realmente é um B muito caro, mas gostei das novas caracterizações dadas aos personagens e aos carros, obvio que para uma exploração futura com miniaturas, jogos e figuras de ação. O filme serve para quem só quer reunir os amigos no final de semana para dar boas gargalhadas e apontas as apelações da produção. É divertido tentar construir miniaturas artesanais inspiradas nos carros, fora isso o que resta de Corrida Mortal é um roteiro fraco repetitivo, acredito que seria possível trabalhar melhor no conteúdo deste tipo de filme, mas os produtores preferem algo que venda fácil. Cinema deve ser levado mais a serio, Corrida mortal é apenas mais um de vários filmes com muitos efeitos, falas apelativas e nada mais. Tudo pelo mercado

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: