Bones III – The Veredict in the Story (13/15)

Neste episódio, Bones visita o mundo dos advogados (qual Liberdade 21!) e vai fazer o impossível para libertar o seu pai da prisão. A pergunta é: conseguirá a sua relação com o Agente Booth sobreviver?  Não percam mais uma review a um episódio de Bones.

Sr. Esqueleto, esta não é a melhor altura para praticar ballet!

Episódio: The Veredict in the Story
Canal: RTP2 e FOX (Portugal); FOX (EUA)
Primeira Exibição em Portugal (RTP2): 16 de Outubro de 2008
Primeira Exibição nos EUA: 05 de Maio de 2008

Este episódio é, sem sombra de dúvidas, um dos melhores da temporada e até de toda a série. Foi uma jogada de mestre aproveitar um dos enredos principais desta temporada para dar um abanão à estrutura habitual dos episódios. Assim, temos um episódio bem diferente do habitual. O típico enredo de investigação para encontrar o criminoso foi substituído por um julgamento. No entanto, Bones não é uma série de advogados e, para quem está a pensar que este episódio foi assim, está enganado. Em vez de se centrar nos argumentos e nas possíveis contradições éticas, neste tribunal discutem-se mais os factos, provando que é bastante relevante a forma como eles são interpretados, assim como as relações dos personagens.

Vou deixar a carreira de advogada e mudar para trolha!

A tensão presente neste episódio assenta na competitividade entre os personagens, sendo o atractivo principal o facto de Bones (Emily Deschanel) estar no lado oposto à sua equipa e, principalmente, a Booth (David Boreanaz). Assim, esta competitividade serve de teste, não só às amizades com os colegas de trabalho, como também à relação pseudo-amorosa entre Brennan e Booth.

Sweets
Dr. Brennan, everyone you work with, including your therapist…

Booth
Former therapist.

Sweets
…is endeavoring to imprison your father. That’s wicked stressful.

Brennan
Booth is right. It doesn’t bother me.

Sweets
No, Booth is wrong. Yes, it does.

O diálgo neste episódio está magistralmente bem feito. E não estou propriamente a falar dos argumentos entre os advogados, mas sim de todos os comentários propositadamente despropositados feitos por tudo quanto é personagem. Ninguém escapa. O episódio é tão fluído que nem damos pelo tempo a passar. Se juntarmos isso a uma realização muito boa, temos um episódio excelente. Apesar da inevitável falta de variedade nos cenários, porque um julgamento tem de ser feito num tribunal, nota-se o esforço da produção para variar e então temos várias cenas no corredor no tribunal, uma na parte de fora do tribunal, outra no apartamento de Brennan, outras no laboratório e uma excelente montagem em que Brennan supostamente mata o sujeito que o pai é acusado de matar. Para além disso, a rápida troca de depoimentos foi extremamente bem feita.

Cam
This is not a competition between us and brennan.

Angela
If brennan understands that we aren’t crazily competitive about it, then… we’ll all come through this with our friendships intact.

Zack
Besides, Dr. Brennan must realize that we’re going to destroy them.

Hodgins
I’ll explain “crazily competitive” to zack over and over again until he gets it.

Emily e David fizeram um excelente trabalho. Apesar de estarem em lados opostos, estavam sempre juntos. Não paravam de falar, não conseguiam estar quietos e ajudavam-se mutuamente a toda a hora. Booth, claramente transtornado por fazer isso à parceira, consolou-a o mais que pode na cena do apartamento de Brennan em que eu pensei que se eles estivessem mais perto um bocadinho, as suas caras ficavam coladas.

O teu pai matou o outro e eu é que vou para a cadeia!

O resto da equipa também esteve bem. Cam (Tamara Taylor) passou um bocado ao lado, sempre preocupada, mas sem que isso a impedisse de realizar o seu trabalho; Zack (Eric Millegan) foi a personagem mais estranha, não tendo qualquer problema e parecendo até gostar de mandar o pai da sua amiga para a prisão; Hodgins (T.J. Thyne) também não teve muito protagonismo, pediu a Brennan a autorização para participar e fez o seu trabalho razoavelmente; e, por fim, Angela (Michaela Conlin), que, como melhor amiga de Bones, recusa-se a testemunhar perante tudo e todos, e teve uma das linhas mais engraçadas do episódio onde invoca a quinta emenda.

Hodgins
Ange doesn’t like that we’re on different sides.

Angela
All of us together and brennan alone.

Zack
Not alone, she’s with those african-american people.

E ainda temos Sweets (John Francis Daley), que neste episódio passa a fazer parte da equipa, em troca de analisar e estudar a improvável relação entre Brennan e Booth. E atenção a este pormenor, pois será importante no episódio final. O diálogo na parte de fora do tribunal, num banco, entre o trio foi tão bom como de costume, principalmente as partes em que Brennan e Booth ignoravam Sweets e falavam apenas um para o outro. Mais um excelente momento que mostra a perfeita sintonia entre os dois personagens e a naturalidade com que os actores a fazem transparecer.

David Barron
(o advogado da defesa)
You found particulates placing the accused at the scene of the murder, the seminary, and the rooftop where the victim was immolated.

Hodgins
Yes.

David Barron
Was anyone else present at all three locations?

Booth
Me, but I didn’t kill the Deputy Director of the FBI.

A forma como a história se resolveu foi muito bem pensada, porque, apesar de todos estarem a prever que ele se ia safar, foi totalmente imprevisível a forma como ele se safou, uma excelente ideia de Brennan. E aquela tensão entre Booth e Brennan no final do julgamento, aquele olhar inquisidor de Booth, aquela cena em que Brennan mata o chefe do FBI, só isso fez com que este episódio valesse a pena, e isso é dizer muito.

Concurso de caretas!


Eu também sei! O que é que tu pensas?


Pronto, pronto, para a próxima ganhas tu.

Em conclusão, acho que não consigo parar de dizer bem. São poucos os procedurals que se podem dar ao luxo de fugir à rotina e Bones faz isso bastantes vezes. Se juntarmos a isso o excelente diálogo, a apropriada realização, a interpretação dos actores e a evolução dramática das personagens, temos um dos melhores episódios da temporada.

espaço

E agora os vencedores, neste caso vencedoras, do concurso da semana passada:

Joana
Humm… Mamma Mia!!!

Laura Caçoeiro
Sei que queres outra coisa, mas contenta-te com a chucha.

São tão engraçadas as visitantes do Hotvnews! 😛

espaço

E agora a imagem para a próxima semana:

Sejam originais e até para a semana!

Anúncios

6 Responses to Bones III – The Veredict in the Story (13/15)

  1. John Anacall diz:

    realmente um grande episodio e com algumas boas piadas fartome de rir sempre com esta:

    Hodgins
    Ange doesn’t like that we’re on different sides.

    Angela
    All of us together and brennan alone.

    Zack
    Not alone, she’s with those african-american people.

  2. Laura caçoeiro diz:

    O melhor deste episódio foi mesmo vermos o elenco sempre tão unido, agora ter de trabalhar em separado. Mas mesmo assim vimos lealdade, amizade e honestidade.

    Ultima Foto:

    ” Não, isto não é rum. É café com rum!”

  3. Falk diz:

    Ainda não tive tempo de ver este episódio, mas não resisti em vir aqui vê-lo..
    E já fartei-me de rir :p

    Bom post

  4. joana diz:

    gosto mt deste episódio. É sem duvida um dos meus preferidos! 🙂 Boa review!

  5. Andre diz:

    Ultima foto:

    “Não Booth não sou tua mãe para te dar café, para a proxima traz na tua lancheira”

  6. […] O pai de Brennan é ilibado The Veredict in the Story (13/15) […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: