Cashback – Bem-vindo ao Turno da Noite, por Tiago Ramos

Título original: Cashback
De: Sean Ellis
Escrito por: Sean Ellis
Com: Sean Biggerstaff, Emilia Fox e Shaun Evans

Cashback é poesia surrealista elevada a argumento para cinema.

Cashback tem todos os trunfos para ser um filme de culto. O filme britânico assenta numa narrativa tremendamente profunda, num longo monólogo do protagonista, que não chega nunca a ser cansativo.

null

Grande parte do argumento debruça-se sobre o tempo; aliás, toda a teoria da relatividade encontra-se descrita no filme, de uma forma muito mais surrealista e menos pragmática, claro está. Quando Ben (Sean Biggerstaff) acaba o seu namoro, percebe que o dia é muito maior do que julgava e, sem conseguir dormir, resolve aproveitar essas horas para trabalhar num supermercado: exactamente no turno da noite. “You give 8 hours…They give you money“, é essa a mentalidade geral.

A partir daí, tudo se desenvolve numa bela história de amor, algo dramática, algo cómica, a pender para o surrealismo. Através de frequentes paragens do tempo, focamo-nos na mentalidade de um artista (consegue ver a beleza nas coisas mais naturais e banais da vida) que colmata as horas de tédio, a pintar corpos desnudos no supermercado.

null

Cashback – Bem-vindo ao Turno da Noite é certamente dos argumentos complexos, mais instruídos e ricos do cinema, nos últimos tempos e pena que não tenha tido grande visibilidade no nosso país, tendo estreado dois anos depois da estreia oficial. O argumento abarca toda uma intensa psico-fisiologia feminina e um quociente emocional riquíssimo de um jovem, que compreende que o amor surge entre uma fracção de dois segundos.

Sean Ellis actua aqui, enquanto realizadora, como uma artista recheada de comportamentos artísticos e criativos, em amplas metáforas filosóficas. As interpretações são surpreendentemente boas: Sean Biggerstaff supera talvez a amplitude de todas as outras. Mas também, a jovem Emilia Fox acaba por revelar-se uma co-protagonista à altura, numa duvidosa mistura de beleza/simplicidade, que enriquece ainda mais o argumento.

O tempo é o rei nesta longa metragem, onde o amor se conjuga perfeitamente. Citações como “Uma vez quis saber o que o amor era. Amor é aquilo que queres que seja. Apenas tens de ver que ele está embrulhado em beleza e escondido algures entre os segundos da tua vida. Se não parares por um minuto, talvez o percas” , “A má notícia é que o tempo voa… A boa notícia é que tu és o piloto” ou “Ela apanhou o segundo errado, numa história de dois segundos” são algumas boas expressões do enredo do filme.

null

Cashback apresenta uma história mais assente no argumento escrito, do que propriamente nas imagens, tornando tudo num enorme colírio para os olhos e música para os ouvidos, num guião que podia facilmente tornar-se num livro. Conclui com um final dedicado ao amor…

Classificação:

Cashback – Bem-vindo ao Turno da Noite ainda não foi editado em DVD para Portugal, estando apenas disponível para o mercado de aluguer, nos clubes de vídeo.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: