Anatomia de Grey III – Review – Scars and Souvenirs

Episódio: Scars and Souvenirs (18/25)
Temporada: 3
Canal: RTP 2
Primeira Transmissão em Portugal (RTP 2): 9 de Setembro de 2008
Primeira Transmissão nos E.U.A: 15 de Março de 2007

“Todos nós temos cicatrizes em todo o tipo de lugares inesperados. É como se fossem mapas secretos da nossa história pessoal, diagramas das nossas feridas. Maior parte dessas feridas é curada, deixando apenas uma cicatriz. Mas algumas feridas são levadas connosco para qualquer lugar e mesmo que desapareçam, a dor permanece.”

O episódio, assim começa, da melhor maneira possível, com a nossa “boa” Izzie (Katherine Heigl) (podem interpretar das duas maneiras) a sair do banho. Já disse que tenho um fraco por ela? Quer dizer, quem é que não tem?

Izzie descobre que Alex (Justin Chambers) mudou-se para a casa de Mer (Ellen Pompeo), já que entra pela casa de banho a dentro quando ela tinha acabado de sair do banho. Ai… Bem, continuando. Vemos também como Mer está a lidar com a morte da mãe. Parece que está com outra visão do mundo. Ela diz que “as pessoas é que importam”. Ok, está a ficar a maluca, como a Izzie disse.

Momento da semana:

Vamos já para o assunto da semana: Apresentam-nos Colin Marlow (participação de Roger Rees; Os Homens do Presidente e O Terceiro Passo), que ao que tudo indica, é o mais recente candidato a chefe de cirurgia. E ainda há mais: Cristina (Sandra Oh) e Marlow tiveram um relacionamento. De três anos! Bem, com aquela mãozinha, era bom que fossem conhecidos. Muitos problemas traz este homem. Já falamos sobre isso. Também descobrimos que usa uns comprimidos azuis… Ok, isso não era preciso dizer…

Casos médicos: continuamos com a nossa Jane Doe (participação de Elizabeth Reaser), que precisa de uma operação que pode prejudicar o bebé. Depois temos Helen Crawford (participação de Shohreh Aghdashloo; Uma Casa na Bruma e 24), uma amiga de Derek (Patrick Dempsey) que tem um tumor numa zona perigosa e que por isso retira parte dele de anos a anos. Derek convence-a a tentar tirar completamente. E depois temos um outro paciente, que tem uma bala nas suas costas e, devido à infecção, é altura de a tirar. Ambos os casos são muito emocionais e talvez até um pouco tristes, apesar de acabar tudo bem, mas a nível médico, destaco a paciente de Derek, que quando é operada, decorre uma cena de grande tensão. Bastante bom.

A concorrência a chefe de cirurgia vai ao rubro. Temos discussões entre os médicos. Primeiro, entre Mark Eric Dane) e Addison (Kate Walsh) sobre o risco em relação ao bebé sobre a cirurgia de Jane Doe (até agora Mark e Addison têm conseguído não fazer sexo), em que depois Derek mete-se no meio. Depois temos outra discussão entre Burke (Isaiah Washington) e Derek em relação ao este ter feito um procedimento sozinho, sem pedir ajuda. Sorte foi Richard (James Pickens Jr.) aparecer nas ocasiões certas para parar com as discussões, senão, ainda andavam todos à luta. Claro que não. Bailey (Chandra Wilson) questiona Richard se Colin vai ser o novo chefe, mas ele não responde.

Colin não traz só problemas entre os médicos, mas também entre a relação de Burke e Cristina, pois Preston descobre que Yang teve um relacionamento com Marlon de três anos, que não ligava a casamentos e muito mais. Bem, já andam a ter muitos problemas para o meu gosto, ainda por cima este é um dos casais mais “adultos” da série. Veremos como tudo irá decorrer.

Neste episódio, as cenas no hospital acabam mais cedo, para dar lugar ao jantar que Mer preparou (Izzie, se preferirem) para o seu pai (participação de Jeff Perry) e Susan (participação de Mare Winningham), em que Mer ao inicio não queria encontrar o seu pai e por isso se escondeu num pequeno quarto no hospital, onde Cristina também depois se escondeu do Colin (CENA HILARIANTE). O jantar começou mal, com Thatcher a falar de uma foto em que pensava que era a outra filha, quando afinal era Mer. Essa doeu. Depois, Izzie fez qualquer coisa que provocou um apagão lá em casa. Thatcher foi resolver o problema, já que conhece a casa. Ele e Derek tiveram uma conversa, antes de ele resolver a situação, sobre Mer. E Derek falou que Mer é uma pessoa difícil de conhecer, mas que valia a pena o esforço. O que achei interessante foi que o que ele disse fez-me pensar se estará tudo bem na relação deles, na perspectiva do Derek. Cristina aparece no meio do jantar com uma crise, mas verdadeira (cena do refeitório – CENA HILARIANTE). Izzie e Alex também tiveram uma conversa mais “verdadeira” entre eles. E vemos que Izzie não fica bem sozinha. Mas há mais.

A relação entre George (T.R. Knight) e Callie (Sara Ramirez) bate ao fundo. Primeiro, George descobre que Callie é rica e é por causa disso que estão naquele hotel, depois ele conta a Meredith que ela é rica e Mer conta a Izzie que Callie é rica. Izzie manda uma “boca” sobre isso a Callie numa cirurgia. E assim chegamos ao colapso. É tão cedo para já ter uma discussão destas, mas também eles casaram-se repentinamente, se calhar sem pensarem como deveria de ser. E George quando disse que Izzie era uma super-modelo e que ele é apenas o George foi a gota de água. Coitada da Callie. Desculpem lá, mas ela também não fica nada atrás. (já disse que também tenho um fraco por ela?) E Sara Ramirez, nesta cena, provou que é uma grande actriz. Ele foi desabafar com Izzie, pedindo-lhe para gostar da mulher dele. Mas acabaram bêbados. E prontos, acho que já sabem o que aconteceu depois…

“O que é pior? Novas feridas que sejam muito dolorosas ou antigas feridas que deveriam estar curadas há anos e que isso nunca aconteceu? Talvez as nossas antigas feridas ensinem-nos alguma coisa. Lembram-nos de onde estivemos e do que já enfrentámos. Ensinam-nos lições sobre o que evitar no futuro. Isso é o que gostamos nós de pensar. Mas não é bem verdade, pois não? Há coisas que devemos aprender uma e outra e mais outra… vez.”

Tivemos um bom episódio. Aliás, um óptimo episódio. Foi daqueles episódios que passa num instante e que quando acaba ficamos com ansiedade de descobrir o que acontece a seguir. O único aspecto negativo foi mesmo as poucas cenas em que Bailey apareceu. Pode ser que no próximo episódio seja diferente. Por isso…

Até terça-feira, noite de Anatomia de Grey!

Músicas deste episódio:
“Come To Me” by Koop
“Girlshapedlovedrug” by Gomez
“Hi” by Psapp
“Land Of No Return” by Wild Sweet Orange
“”Move You (Slow & Steady Seduction Phase II)” by Anya Marina

escrito por: Debora Cahn

realizado por: James Frawley

participação especial de Shohreh Aghdashloo

participação de Elizabeth Reaser. Jeff Perry, James Gammon com Mare Winningham e Roger Rees

Escrito por Paulo Rodrigues

Editado por Carlos Couceiro

Anúncios

5 Responses to Anatomia de Grey III – Review – Scars and Souvenirs

  1. FR diz:

    Gostei da review…

    Mas tenho a apontar que tem dois erros ortográficos (apesar de ser o mesmo):
    tem escrito “trás” e deveria ser “traz”.

    Continuem com o bom trabalho! 😉

  2. Paulo Rodrigues diz:

    FR, obrigado pela correcção.
    Tenho de ver se para a próxima não me esqueço. 😛

  3. Tenho vindo a ler as tuas últimas reviews de Grey’s Anatomy, uma série que acompanho desde início apenas pela RTP. Ao fazer este comentário não é minha intenção fazer qualquer crítica negativa ou depreciativa ao teu modo de escrever e de explorar cada episódio. Espero que isso fique bem claro.
    Contudo, acho que seria importante explorar os sentidos escondidos nas acções dos personagens e não ficar tão somente pelo desfiar de acontecimentos, que decorrem diante dos olhos dos espectadores. Esses já lá estão, disso não há a menor dúvida… há que ir mais longe, procurar o que não aparece a olho nu. Tanto este episódio como a trilogia de episódios anteriores (que eu achei fantástica, já agora) abriram um novo caminho na série que precisava de ser explorado.
    Este episódio abordava alguns pontos que importava dar atenção, como por exemplo:

    – Meredith pensa estar a ultrapassar bem a morte da mãe, mas no fundo esta irá servir como forma de aproximação com o pai, de quem esteve afastada durante anos, apesar dos laços que ainda os unem (a casa, o baloiço, a fotografia, ou até o ressonar (visto em episódios mais antigos.)

    – Os casos médicos tiveram na minha opinião uma importância imensa neste episódio, sobretudo para evidenciar a supremacia de cada um dos médicos para o lugar de chefe. Para além disso, reportam ao tema do episódio, as cicatrizes, pois enquanto que o ferido de guerra vive na expectativa de encontrar na cicatriz a prova da sua inocência perante o mundo e a sua mulher (o mundo mais pequeno), Helen (a amiga de Derek) acaba por precisar de uma cicatriz para ganhar a vida. A dicotomia…

    – Shonda Rhimes terá pensado numa relação entre Izzie e George, porque ambos sairam de duas experiências traumáticas e se pensarmos bem, foi precipitado o casamento deste com Callie, como é também o amor de Izzie pelo amigo. Não acredito que tenham pensado numa relação entre os dois, mas numa carência afectiva que ambos conseguem colmatar pela cumplicidade e amizade que os une.

    – A presença de Colin Marlow no hospital serviu mais para antagonista de Cristina e Burke, do que propriamente para candidato a chefe.

    Não me vou alongar mais e volto a dizer que esta é a forma como eu assisto a tudo o que vejo na televisão ou no cinema. Grey’s Anatomy está cheia de subterfúgios e simbolismos, aos quais temos de estar atentos, para que não se perca a beleza desta série de alto nível.
    Espero sinceramente que tenham percebido a intenção do meu comentário.

    Tudo de bom para vocês. *

  4. Paulo Rodrigues diz:

    Carla, muito obrigado pelo comentário e críticas são sempre bem-vindas.

    Tens toda a razão em tudo o que disseste, não podia estar mais de acordo. Esta série está cheia de simbolismos e é por isso que também é tão especial.

    Como também estou aqui há pouco tempo, vou tentar melhorar.

    – Sim, a morte de Ellis serviu para tentar aproximar Mer do seu pai, que pensado bem, ainda tinham alguns laços que os uniam, como disseste e bem.

    – Em relação ao que disseste sobre os casos médicos, pensei sim, que evidenciavam a supremacia de cada um dos médicos para o lugar do chefe, mas não tinha pensado que poderiam, de certa forma, estar bastante relacionados com o tema do episódio. Um bom pormenor que me escapou e que detectaste muito bem. Como é óbvio, os casos teriam que estar relacionados com o tema do episódio, mas não tinha pensado dessa maneira.

    – Pois é verdade, Izzie e George saíram ambos de duas experiências traumáticas. E George também precipitou-se ao casar com Callie. Mas também não tinha pensado nessa carência afectiva. Pensava que, ao ver George casado, Izzie teria começado a sentir algo mais que amizade por ele, talvez.

    – Em relação à presença de Colin Marlow, não podia também estar mais de acordo.

    Mais uma vez, obrigado pelos comentários.

    Cumprimentos.

  5. Paulo,

    Ainda bem que compreendeste a intenção da minha mensagem. Nós aprendemos todos nesta troca de informações diária, que nos torna mais cúmplices e mais fortes.

    Bom trabalho para ti e para a restante equipa!
    🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: