Anatomia de Grey III – Review: What I Am (4/25)

Episódio: What I am (4/25)
Temporada: 3
Canal:
RTP 2
Primeira Transmissão em Portugal (RTP 2): 3 de Junho de 2008
Primeira Transmissão nos E.U.A: 12 de Outubro de 2006

Quem somos nós? O que nos define como pessoas? Será a nossa aparência física? Ou é o sucesso no trabalho? Ou aqueles a quem amamos? E quando não sabemos quem amar? Como saber quem somos se nem sabemos quem amamos?

São estas as grandes perguntas deste episódio, e eu diria, grande episódio. Temos de tudo, e com certeza irei deixar de fora pelo menos metade dele, não propositadamente, mas porque aconteceu muita coisa. Meredith (Ellen Pompeo) começou por se divertir quando teve de namorar Derek (Patrick Dempsey) e Finn (Chris O’DonnellBatman & Robin) ao mesmo tempo, mas a brincadeira foi longe demais, e agora ela nem consegue decidir qual deles escolher. Addison tentou amar Derek desesperadamente, sem conseguir se livrar de Mark (Eric Dane), e ela dispensou tanta energia em tentar amar e não ser amada, que agora não sabe mais como ser ela mesma. Burke (Isaiah Washington) não consegue controlar sua mão, e isso assusta-o, porque ele sabe que é a sua profissão que o define, e que Cristina (Sandra Oh) não se apaixonou só por ele, mas também pelo cirurgião que ele é.

Como previsto, Mark vai trabalhar para o Seattle Grace. E numa cena onde tudo acontece ao mesmo tempo, temos Addison (Kate Walsh) e Derek irrequietos com a chegada de Sloan, Meredith a vomitar e por causa disso, todos a pensar que ela está grávida de um “McBebê”. Agora adicionem isto tudo a um paciente que estupidamente acende um cigarro numa sala cheia de oxigênio puro, o que provoca uma pequena explosão. O paciente chama-se Sr. Sullivan (participação de Alan Blumenfeld) e ele havia prometido à Dra. Bailey (Chandra Wilson) que não fumaria mais. O que importa para a mulher dele é que volte a ter o aspecto que tinha antes de se queimar, já que ele é um vendedor de carros e nessa profissão, a aparência é fundamental.

Meredith não está gravida, mas tem um apendicite. Para suportar as dores, ela toma morfina. E drogada, ela é muito divertida. Diz o que deve e o que não deve, mas sempre baseado na verdade. É desta forma que ela diz à Cristina que ela é a sua melhor amiga, enquanto Cristina responde que é por isso que não socializa com pessoas drogadas. E Meredith diz, quando Derek, Finn e George (T.R. Knight) estão presentes na sala, que eles dão todos bons beijos, para surpresa de Finn e desconforto de George.

A Dra. Bailey está, como sempre, fantástica! Quando Addison é expulsa do quarto de sua paciente por ir contra a idéia de um parto natural, pelo perigo que representa naquele momento, Bailey é quem chama a atenção de Addison que ela não é mulher de ser expulsa de um quarto. Addison responde-lhe que já não sabe quem é, ao que Bailey logo responde que ela é a a mulher que dorme com homens bonitos e que traí o marido. Addison até tenta desmentir, mas não consegue. E Bailey ainda lhe dá a solução, ao dizer-lhe que nenhum homen, nem Derek nem Mark, a definem como pessoa. Depois, quando Addison passa pelo quarto de uma drogada Meredith, elas conversam, e a interna pede-lhe que lhe diga como é que soube que Derek era o homem da sua vida. Addison responde-lhe que Derek nunca a magoaria. Meredith diz-lhe que Derek a magoou. E é neste momento, que Addison confessa a si mesma que devia ter deixado Derek livre quando Meredith estava com ele. Finalmente as duas confessam que não se odeiam, e Addison, ao sair e encontrar Derek, pede-lhe que ele não magoe mais Meredith.

Derek vai pedir conselhos a Richard (James Pickens Jr.) e pergunta-lhe porque ele não ficou com Ellis Grey. Richard responde-lhe que poderia ter ficado com ela, mas sabia que isso não teria sido bom para nenhum dos dois. É então que Derek decide abrir mão de Meredith, como uma forma de não a magoar mais. Quando Derek diz-lhe isso, é neste momento que ela tem certeza que ele é o homem que ela ama, e antes que ela venha a magoar Finn, ela decide terminar tudo com o veterinário. Finn até pode ser o melhor homem para ela, mas Derek é “o tal”. Finn reenforça que Derek voltará a magoá-la, mas não há nada que ela possa fazer. E vai-se embora.

Burke volta ao hospital para ser examinado por Derek, que mal o observa, e o autoriza a voltar ao activo. Burke ainda tenta dizer a Derek que ele não se acha capaz, mas é prontamente interrompido por Cristina, que insiste em dizer-lhe que ele está bem e que ela está feliz por ele voltar ao trabalho. Mais tarde ela encontra-o a praticar num cadáver e ele não consegue esconder a frustração por não poder ser o melhor. Quando Cristina descobre a razão, ela pede-lhe desculpa e promete que irá ajudá-lo para que ninguém perceba o tremor da sua mão durante as cirurgias, e que este será um segredo dos dois.

Nem George consegue definir o qual é o papel de Callie (Sara Ramirez) em sua vida. Ela é a sua namorada ou é alguém com quem ele gosta de estar? É a própria Callie que lhe faz esta pergunta, sem obter uma resposta. Callie vai para o bar do Joe e encontra Mark, que está lá depois de ter tentado humilhar a Dra. Bailey e esta, na primeira oportunidade, ter-lhe dado o troco. Ela simplesmente disse-lhe, indirectamente, que não importa um rosto bonito, mas sim quem nos ama a nossa volta. Mark não tem ninguém. E Callie convida-o para dormir com ela.

E não foi neste episódio que Izzie (Katherine Heigl) voltou ao hospital, mas também não teve a vida facilitada, pois teve de se encontrar com o pai de Denny, também ele se chamava Denny (participação de Fred Ward; Palpitações). Este queria entender o que se passou com o seu filho, saber como recebeu um coração novo, como a pediu em casamento e como morreu, tudo no mesmo dia. Na verdade, ele queria saber quem era a mulher que conquistou o seu filho, e quais eram suas intenções. Tudo porque Denny deixou uma gravação para os seu pais, que Izzie tinha de ouvir, e deixou-lhe um cheque com mais de oito milhões de dólares. Afinal, Denny estava cheio de dinheiro!

Na gravação, que Izzie escuta ao chegar em casa, Denny deixou registado que às vezes devemos cometer um grande erro para aprender como agir correctamente. Errar é doloroso, diz ele, mas é a única forma de descobrirmos quem somos. E ele, gráças a Izzie, sabia finalmente quem era.

Aos poucos cada um vai conseguindo se descobrir, se definir, durante o episódio. Mas é Bailey que dá a grande deixa, quando fala com Sr. Sullivan:

O seu rosto pode estar diferente, mas o senhor sabe, tanto quanto eu, que não se trata da aparência ou do trabalho, ou de ser bem-sucedido na vida. Trata-se de ter à sua volta pessoas a quem amar e que o amem. É só isso que importa.

ainda com: Justin Chambers

participação especial de: Chris O’Donnell

participação de: Fred Ward, Alan Blumenfeld, Tina Holmes, Stephanie Faracy, Steven W. Bailey como Joe

Texto de Cláudio Carneiro e Carlos Couceiro

Editado por Carlos Couceiro

Imagens: ABC

Anúncios

One Response to Anatomia de Grey III – Review: What I Am (4/25)

  1. vitoscano diz:

    Boa review de mais um excelente episódio desta fantastica série.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: