O Golpe de Baker Street, por Carlos Antunes

Título original: The Bank Job

De: Roger Donaldson

Escrito por: Dick Clement e Ian La Frenais

Com: Jason Statham, Saffron Burrows, Stephen Campbell Moore, Daniel Mays, James Faulkner

Os anos 70 são cool.

Roger Donaldson talvez não inscreva o seu nome na galeria dos notáveis realizadores, mas certamente deixará boas memórias ao público afecto de cinema bem feito e pensado para o público – sobretudo quando bem apoiado pelo trabalho dos argumentistas, o que aqui acontece.

Mesmo que a sua filmografia alterne de nível, a verdade é que a sua contribuição para um ideia de “meio-termo” cinematográfico é de assinalar.

Bastará lembrar o seu título anterior era um edificante veículo para Anthony Hopkins, como os que Hollywood construía para Bogart (cujos realizadores, muitas vezes, ficavam esquecidos, mais uma roda na engrenagem da indústria).

O conceito de tarefeiro aqui aplicado não terá qualquer conotação negativa, o cinema mantém-se saudável à conta deles.

Já perceberam, portanto, que The Bank Job é um filme movimentado, divertido e emocionante.

A sua vontade é a de nos colocar bem no meio do assalto que decorre, com os seus periclitantes resultados.

Roger Donaldson tem o talento para deitar a mão a The Italian Job (só para citar um título, até pela sua proximidade) e inspirar-se, combinando a verve britânica à operacionalidade americana.

Doseando o humor e a acção de forma a manter o espectador em suspenso divertimento, Donaldson dedica-se aos seus actores, fazendo valer o seu papel em tudo isto.

São eles que movimentam os acontecimentos, são eles que nos agitam.

Os actores como ferramentas essenciais e não uma qualquer ilusão de montagem que crie uma falsa vertigem.

A acção do filme vale por si e a montagem não lhe serve de esteróide.

Tudo para servir a presença dos actores.

Sentido clássico do cinema, portanto, capaz de entusiasmar o público sem ter de o aldrabar.

Só por isto valeria ver The Bank Job, entretenimento saudável e sincero, despretensioso e nem por isso menos meritório.

Classificação:

6 respostas a O Golpe de Baker Street, por Carlos Antunes

  1. Tenho cá em casa. Tenho de experimentar ver…

  2. Fred diz:

    Humm…. não é James Gray o realizador, como aparece várias vezes no texto, mas sim Roger Donaldson.

  3. antonio diz:

    Eu vi e acho que é um filme não muito conseguido, talvez por comparar com os clássicos de guy richie, não tem muita acção e as personagens não as acho muito trabalhadas.

  4. É o que dá escrever mais do que uma crítica simultaneamente!
    James Gray é, está claro, o realizador de We own the night.

  5. joaot diz:

    curti montes o filme! original no sentido em que foge a cliches, e bastante credivel😉

  6. Kitt diz:

    Eu achei este filme bom.🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: