24 VI- Review – From 06:00 Am to 07:00 Am (Supersized)

Episódio: Das 06 ás 07 horas – 01/24
Temporada: 6ª Temporada
Canal: RTP2
Primeira Exibição em Portugal: 09 de Maio de 2007
Primeira Exibição nos E.U.A.: 14 de Janeiro de 2007

Passaram-se 11 semanas desde o primeiro ataque. Os EUA estão em estado de sítio com os atentados que já mataram cerca de 900 pessoas em 10 cidades do País. Nada consegue parar os organizadores dos ataques, que ainda não se sabe quem são, mas há suspeitas de que possa ser uma célula islâmica nos EUA (“para variar…”). A primeira imagem que a Mal sabia este sujeito que a sorte dele foi não apanhar o autocarro. Continuando, e já dentro do dito veículo, a câmara foca um indivíduo asiático, que está a “ouvir música inocentemente” no seu leitor de MP3. Mas quando nos apercebemos que ele está a mexer na mochila de uma forma estranha, ficamos com ligeiras suspeitas. É então que tudo isto se confirma, com a seguinte imagem:

Mais um ataque. Eu bem disse que o tipo tinha tido sorte em não ter apanhado o autocarro.

A acção passa depois para a Casa Branca, onde presenciamos uma discussão entre Thomas Lennox (Peter MacNicol, que saiu de “Núm3ros” de propósito para vir fazer este papel) e uma já nossa conhecida da temporada passada, Karen Hayes (Jayne Atkinson), que agora é conselheira de Segurança do Presidente dos EUA, acerca de uma proposta escrita por Lennox que possibilita a detenção de qualquer cidadão americano “que reze virado para Meca”. É nesta altura que entra também na discussão o novo Presidente, que é nada mais nada menos do que Wayne Palmer (DB Woodside), o irmão do ex-presidente David Palmer, que fora morto 20 meses antes. O resto desta cena não é lá muito interessante. Palmer diz que foi há 3 meses que os americanos o elegeram para “preservar, proteger e defender a Constituição”, puxam a discussão para factos históricos que se relacionam com o que Lennox quer fazer, como o facto de Roosevelt ter detido mais de 200 mil nipo-americanos que, segundo o que se pensaria, queriam levar a cabo sabotagens nos EUA e que por isso os historiadores o considerariam uma vergonha (e sim, foi.). Lennox diz que não podem continuar com as cabeças enterradas na areia. É nesta parte que se sabe de um novo ataque em L.A. (ou seja, o ataque que vimos no início do episódio), que já causou 23 mortos, incluindo o suicida. Palmer olha então para uma folha que tem na secretária, com a foto de Hamri Al-Assad, que chegou aos EUA três dias antes do primeiro ataque e que tem apelado à destruição dos EUA nos últimos 20 anos. E finalmente se fala da CTU, que é a organização responsável pela “eliminação” de Assad, e que tem uma taxa de sucesso de 75% neste tipo de operações.

Entramos agora na CTU de Los Angeles, cidade onde há sensivelmente 4 minutos ocorreu mais um ataque. As duas primeiras pessoas que vemos são Milo Pressman (Eric Balfour, esteve na 1ª temporada) e Morris O’Brien (Carlo Rota, apresentado nos últimos dois episódios da 5ª temporada), numa discussão, e se me permitem dizer isto, à lá “Dr. House”, confirmando-se o que o Carlos Couceiro disse aquando da review do último episódio da 5ª temporada, que Morris iria ser um “comic-relief” nesta temporada. Parece que Morris e Chloe (Mary Lynn Rajskub) reataram a relação, mas Chloe não gosta que as duas coisas se juntem na CTU. Trabalho é trabalho, conhaque é conhaque. Entretanto, e enquanto os O’Brien estão nisto, Chloe repara num estranho pedido da Segurança Interna, para abrirem um canal de ligação de acordo com os regulamentos militares, e vai reportar isto mesmo à sua superior, Nadia Yassir (Marisol Nichols), que lhe diz que é para um ataque a Assad. Chloe estranha, porque não sabem onde está Assad, nem têm uma pista acerca do paradeiro do mesmo. Nadia diz então que têm uma maneira de saber onde está Assad, que é através de… Jack Bauer. Chloe, mais uma vez, estranha esta afirmação, pois sabe que Jack está na China e que se ele voltasse ela seria das primeiras pessoas a saber e pede para falar com Bill Buchanan (James Morrison). Nadia diz-lhe que Bill foi esperar Jack ao aeródromo.

No aeródromo, vemos a chegar um avião militar, proveniente da China. Bill e Curtis Manning (participação especial de Roger R. Cross). Enquanto o avião pára e não pára, Bill e Curtis falam sobre o possível estado psicológico de Jack. Os dois dirigem-se para o avião e de lá sai Jack Bauer, que está pior que nunca. O facto é que Jack não falou nem durante um dia, nem durante 7 meses, mas manteve o silêncio em quase dois anos (20 meses). Bill e Curtis levam Jack para um hangar, onde está instalada uma mesa para dar a Jack todas as informações sobre o que tem acontecido. Bill dá a conhecer as intenções dos terroristas, mais propriamente do nº 2 de Assad, Abu Fayed (que “por acaso” é irmão de um tipo que Jack matou em 1999).Eles querem $25 milhões e… Bauer. Jack se tem de sacrificar para que os ataques parem. Ele pergunta por Audrey e por Kim, e Bill responde-lhe que elas não sabem do regresso dele. Jack pede para as deixarem nessa situação. E é nesta parte do episódio em que podemos ver o que os chineses fizeram a Jack durante o tempo em que ele esteve na China, com grandes cicatrizes nas costas dele. Uma excelente caracterização por parte da equipa de “24”.

A partir daqui, o episódio torna-se igual a tantos outros de “24”. Nota-se que este episódio foi feito para ser transmitido juntamente com o 2º, como foi planeado nos EUA, porque o ritmo de ambos os episódios está feito para isso mesmo. Infelizmente, mas como é normal, a RTP2 deu apenas um episódio na estreia de “24” no nosso país. Pessoalmente, não me importo, porque acho que seja habitual fazerem isto com todas as séries (à excepção de uma ou outra, como foi o caso de “Ossos” na estreia da 1ª temporada, há 5 meses), mas como o episódio não teve o ritmo que se esperava para um episódio simples de “24”, as audiências deverão reflectir-se na próxima semana.

Há uma coisa deveras interessante na história que se segue. Certamente lembram-se que, no final da 5ª temporada, Bill e Karen foram “tomar o pequeno-almoço” juntos. Mas parece que esse pequeno-almoço se tornou algo mais, e agora eles estão casados. Durante uma conversa de telefone entre ambos, percebe-se que eles gostam mesmo um do outro. Depois disso, é o que já pensamos que vai acontecer: Chloe diz a Nadia que Jack é um grande amigo dela e que já o conhece há muito tempo, por isso tem o direito de saber o que se passa, e Nadia diz-lhe. Chloe fica muito sentida e Morris vai reconfortá-la. Após isto, voltamos a Jack, que já está com o visual de sempre e a ir para o local que Fayed pediu. Nisto, Bill, que tal como Jack e Curtis, está no jipe, e recebe uma chamada do Presidente. É o mesmo tipo de chamada a que já estamos habituados em “24”. Uma chamada do Presidente a desejar a Jack “boa sorte”, como aconteceu no final da 4ª série, com a chamada de David Palmer que desejava boa sorte a Jack após a sua “morte”, ou na 3ª temporada, com os mesmos intervenientes, aquando dainclusão de Jack nos reclusos na prisão de alta segurança onde estava Ramón Salazar (participação especial de Joaquim de Almeida). Após este telefonema, há mais uma discussão entre Karen e Lennox acerca do plano deste último, mas é practicamente igual à outra…

Agora sim, começam “As Cenas” deste episódio! Jack, Bill e Curtis chegam ao local que Fayed tinha estipulado. Este telefona a Bill e pede-lhe para colocar Jack algemado a umas grades que lá estavam. É nisto que vem o monólogo de Jack, que responde ao “Sinto muito” de Bill desta forma:

– Percebes a diferença entre morrer por algo e morrer por nada? A única razão pela qual eu lutei tanto pela vida na China foi porque não queria morrer por nada. Hoje, posso morrer por algo. À minha maneira, por minha escolha.

Num outro local de L.A., Ahmed (participação especial de Kal Penn, “Ganda Moca, Meu”) vê o seu pai a ser levado pelo FBI, pois suspeitam que ele possa estar envolvido com os terroristas. Os vizinhos apercebem-se logo da situação e, enquanto dois o querem espancar por ele ser “filho de um terrorista”, os vizinhos da frente tentam ajudá-lo, ao convidá-lo a ficar em casa deles até toda a situação estar resolvida. E Ahmed lá vai…

Voltamos à CTU, onde se estão já a fazer os preparativos para o ataque a Assad, apesar de ainda não saberem onde é que este está. Após isto, e ainda na CTU, começa “A” segunda cena deste episódio. Morris vai quebrar tudo o que tinham planeado e acede a um satélite com o qual trabalhou no Uzbequistão para tentar localizar Jack. Entretanto, Fayed vai buscar Jack e coloca-o numa carrinha preta, inconsciente. O telemóvel de Fayed toca, e avisam-no de que estão a ser vistos através de um satélite privado, cujo sinal está a ser transmitido para uma frequência governamental, ou seja, a secretária de Chloe. Fayed pede para o ligarem à CTU, onde é atendido por Nadia. Esta pede a Milo para descobrir para onde está a ser transmitido o sinal do satélite, ao mesmo tempo que Fayed começa a chantagear. Se não pararem com o sinal em 30 segundos, adeus Assad. Milo descobre o sinal e Morris redirecciona o satélite a 3 segundos do fim. Por causa disto, Fayed vai repensar se dá ou não a localização de Assad. Bill chega nesse instante à CTU e diz que podem ter sacrificado Jack para nada.

Entramos agora nas 06h50, e Karen está a ser actualizada quanto ao assunto Fayed. Karen começa a “ralhar” com Bill, a dizer que Chloe é da sua responsabilidade, e tal, o “parle-à-pié” do costume. Passando à frente, entramos agora no refúgio dos terroristas, onde Jack chega, já consciente. É levado para uma zona pequena, onde apenas está uma cadeira e um monitor cardíaco. Fayed senta Jack na cadeira e explica-lhe que quer vingar o irmão, pois viu o corpo dele e soube o que Jack lhe tinha feito. Começa então a tortura, com cenas deploráveis que não serão vistas aqui. Mas também começa uma confissão, a de Fayed. Ele diz que ao matar Assad, a CTU vai ajudá-lo, pois Assad não veio para fazer ataques, mas sim para pará-los. Jack ouve então uma frase que o desperta, e bastante. “Vais morrer para nada.” Fayed se sai da sala e vai telefonar à CTU, para dar as coordenadas de Assad, deixando Jack atordoado. Chloe pressente que Jack já foi morto e Morris conforta-a…

Os últimos minutos são espectaculares. Fayed regressa para acabar com Jack, mas recebe um telefonema no momento exacto em que vai matar o nosso anti-herói preferido. Jack é deixado com um outro terrorista, mas menos atordoado… Grave erro de Fayed! Nunca se deixa Jack com outra pessoa que não está atenta ao que ele pode fazer. E lá aconteceu. Enquanto Fayed estava a atender o tal telefonema, que por acaso provocou o primeiro twist da temporada (afinal o terrorista é Ahmed!), Jack puxou o cabo do monitor cardíaco com os dentes, fingiu a própria morte e o terrorista chegou o ouvido ao peito para ouvir o coração de Jack. E eis que Jack Bauer, o herói americano, se transforma numa presa de “Buffy, A Caçadora de Vampiros”, ao matar o terrorista com uma trincadela no pescoço! Jack consegue escapar, mais uma vez! Fayed, ao aperceber-se disto, regressa à “cela” onde Jack estava, e a mente brilhante de Jack ajudou-o a fingir a fuga por uma porta que lá havia, quando na verdade fugiu por uma conduta de esgoto que passava lá por baixo.

E assim acabou o primeiro episódio da 6ª temporada de “24”. Foi um bom episódio, mas tal como eu tinha dito antes, soube a pouco, porque este episódio está construído para funcionar em conjunto com o 2º. Mais agora, só na próxima 4ª feira, 16 de Maio, às 22h40, na RTP2.

10 respostas a 24 VI- Review – From 06:00 Am to 07:00 Am (Supersized)

  1. Aquela “reencarnação” do Hannibal Lecter no final deixou-me chocado…

    Ainda é cedo para se fazer juízos de valor sobre esta temporada. Vamos ver como é que isto se desenvolve nos próximos episódios e ver se está ao nível da 5ª temporada ou não.😉

    Cumps

  2. Nuno Palmeira diz:

    Manuel, review mt boa, so nao concordo com o facto da RTP2 dar os dois primeiros episodios seguidos, na realidade o que deviam fazer era como a FOX fez, dar os primeiros 4 episodios seguidos. A Fox colocou na net os 4 primeiros episodios mesmo antes de estrear em televisao, o que fez com que os faz ficassem contentes e quando transmitiu fez com que tivesse logo boas audiencias.

    Esta temporada para mim tem episodios de nivel igual ou superior a 5 temporada, mas tb tem episodios muito inferiores em qualidade, em todo o caso é “24”, impossivel de deixar de ver!

  3. por acaso não foi a FOX que colocou os 4 episódios na internet antes, mas como planeou um DVD que seria lançado na terça a seguir à estreia, uma pessoa qualquer deve ter tido acesso ao DVD e colocou-o na net…
    Eu por acaso só comecei mesmo a ver “24” após a estreia oficial na FOX americana…

  4. Filipe Guimarães diz:

    Para mim esta temporada conseguiu superar a qualidade da 5ª ( apesar de ter sido magnífica), mas concordo com o Nuno, há episódios muito inferiores em qualidade… Chegou a haver episódios em que só me apetecia bocejar… E atenção, eu sou mais do que fã da série… Mas como é 24 não podia nem queria deixar de ver. E apesar da falta de qualidade nalguns episódios a qualidade que a série costuma ter está em força nos outros. A história é muito boa, há muita acção, principalmente nos primeiros 4 episódios e agora nos últimos que estão a dar nos EUA (para a semana já acaba com um episódio duplo). Boa review, como sempre. Agora resta-me esperar que esta temporada acabe em beleza e que a próxima seja ainda melhor.
    Já agora, alguém sabe até quando é que está prevista a duração da série? Acho que o director da série falou em pelo menos mais 2 temporadas…

  5. BRUNO TORREIRA diz:

    DE MODO GERAL CONCORDO CONTIGO NUNO E FILIPE, ALGUNS CAPITULOS NÃO TINHAM QUALIDADE, MAS DEU PARA VER.

    MAS COMO EU NÃO PAGO NADA PARA OS VER, NÃO ME POSSO ESTARE A CHATIAR

  6. Serena diz:

    Gostei desta review… ja me tinham dito que o Jack tinha morto um rapaz à dentada😄

    espero por mais ^^

  7. miguel oliveira diz:

    Essa serie é um espectaculo, principalmente as cenas de acção do Jack Bauer.
    Eu tenho um amigo que é muito parecido com o actor que faz de presidente na 6º temporada de 24 horas.

  8. GUILHERME diz:

    SENSACIONAL. PUBLIQUE OUTROS!
    PARABÉNS!!!

  9. ferlonso diz:

    quero o episódio entre tres e quatro horas e entre qutro e cinco horas
    obrigado!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: